Top 10 Animes de Ação de 2020 – Lau


O ano de 2020 está indo embora, mas antes o Top 10 Animes de Ação de 2020 para vocês, nesse caso com as minhas escolhas e claro quero saber a de vocês!


Neste que foi um ano bem tenso, assistir animes online acabaram funcionando como uma válvula de escape para muitas pessoas, claro que não fiquei fora dessa. Passamos por muitas coisas e vários títulos foram praticamente um cafuné em nossas cabeças nos momentos mais difíceis, consegui assistir a muitos animes neste ano e posso dizer que tirando os cancelamentos por conta da pandemia, foi um ano cheio de bons lançamentos e surpresas, então vem comigo nesse Top 10 Animes de Ação de 2020 onde fiz escolhas bem difíceis entre os mais de 150 animes lançados em 2020 para chegar no resultado desta lista de animes.


10 – Gleipnir

Não vi Gleipnir logo em seu lançamento, mas o hype estava tão forte que decidi dar uma chance, já tinha lido alguns capítulos do mangá muito antes do anuncio do anime.


O estilo de animação pelo estúdio Pine Jam não me atraiu no início e as partes em que o ecchi acontecia achei forçado demais para a história, acredito que quando um titulo tem um bom enredo e uma história intrigante não precisa exagerar nesses momentos como aconteceu, aqui posso dizer que a história superou essa ‘falha’.


Mesmo com o clichê do personagem principal que não se decide logo sobre o que quer fazer da vida, algumas das questões do anime andaram bem rápido, ação e mistério com a construção dos personagens acabaram rendendo bons minutos semanais terminando com várias pontas da trama que fazem o anime merecer uma segunda temporada.


09 – I’m Standing on a Million Lives / 100-man no Inochi no Ue ni Ore wa Tatteiru

Esse foi literalmente do tipo “vou ver esse anime porque não tem mais nada pra ver ainda”, e assim quando cheguei ao quarto episódio a trama já tinha me deixado curioso.


Mesmo com uma animação bem fraca do estúdio Maho Film , gosto de quando um novo mundo se abre e para quem assistiu a possibilidades de muitos outros mundos são gigantescas, ainda mais com a questão onde demonstra que os personagens tem mais conforto com o ‘mundo virtual’ do que com o ‘mundo real’ porque além de revelar um outro lado de cada um deles, pode influenciar muito no futuro deles.


I’m Standing on a Million Lives é um isekai com uma trama simples que evolui muito bem, literalmente enquanto os personagens são apresentados em cada episódio há um crescimento criando um mundo que não é bem o que pensamos, e enquanto se aproximava do final da temporada dava pra ver que não tem como explicar tudo de uma vez e já indicava que para poder entender melhor sobre esse jogo teria que ter mais uma temporada o que felizmente foi confirmado para Abril de 2021.


08 – Dorohedoro

Esse anime é esquisito demais com uma mistura de magia, horror, loucura e filosofia frenética, me convenceu logo de cara que tínhamos algo diferente não só na temporada como no ano todo.


Dorohedoro é um daqueles animes que você precisa querer aceitar esse novo mundo que se abre para curtir melhor a história, nesse ambiente bem ‘sujo’ com personagens estranhos que lembra um pesadelo constante. A história acerta bem na trama e ainda com personagens bem carismáticos(até loucos) em busca de seus objetivos.


Já tinha esbarrado no mangá algumas vezes e nem imaginava que um dia pudesse se tornar um anime, e diga-se de passagem um excelente anime. Algumas coisas na animação em CG do Studio MAPPA me incomodavam, mas conseguiu entregar uma ambientação excelente e a história não ficou atrás continuando o que digo sempre que é um daqueles animes com universo vasto e muita coisa pode sair dali, mesmo se não for contar algo que fique preso aos personagens principais.


07 – Darwin’s Game

Assistir esse anime foi uma experiencia bem interessante, mesmo com a qualidade da animação caindo e variando a cada episódio pelas mãos do estúdio NEXUS.


Não sou muito chegado em Battle Royale mas essa ideia criativa como cada personagem acaba utilizando seu poder adquirido desde que foi incluído ao jogo me pareceu interessante a cada evolução dos episódios. Mesmo com a ideia do personagem principal demorar pra aceitar onde ele foi jogado sem querer, acabou se mostrando inteligente posicionando cada peão ao jogo mostrando pontos de vistas diferentes dos personagens, algo que gosto muito numa história, quando o personagem principal deixa de ser o único a ter algo pra contar. Basicamente me deixou com a mesma sensação do Milion Lives onde depois do quarto ou quinto episódio as noções do anime mudam completamente.


Mais um anime que não merecia uma qualidade de anime tão fraca.


05 – Burn the Witch

Ok, Tite Kubo mostrou que ainda é um excelente criador e Burn the Witch foi além da expectativa, estava considerando o hype alto demais e não assisti na semana da estreia, mas por conta da fama do pai de Ichigo e cia em Bleach, acabei cedendo ficando encantando pela criatividade da obra em construir um novo universo dentro do que ele já nos foi ‘apresentado’ em Bleach expandindo o universo da Sol Society.


A animação está muito boa pelas mãos do Studio Colorido, seguindo um padrão similar ao do seu anime ‘irmão’, os personagens bem característicos de Tite Kubo principalmente os mais velhos que nunca estão a toa pela trama.


Tenho fé de que a história vá continuar e em algum momento os dois mundos possam se encontrar definitivamente, só gostaria de entender o ‘real’ significado do titulo, pois até o momento nenhuma bruxa foi queimada e onde tudo isso vai dar.